Google+

bdsm escrava casadaSou casada e tenho filhos. Desde a minha adolescência tenho fantasias de submissão, eu me masturbava imaginando que estava sendo usada e humilhada de todas as formas. Esta foi uma prática que me perseguiu por muitos anos. Por outro lado, minha vida em família quando solteira e depois já casada, sempre seguiu à parte de tudo isso.

Nunca contei para o meu marido sobre minhas fantasias, tinha medo que ele me achasse uma anormal. Meu medo maior era de enfrentar a sociedade, caso eu viesse a escolhesse viver uma vida fora dos padrões que a própria sociedade nos impõe. De certa forma, esse meu segredo me dava ainda mais prazer, pois gostava de ter esse momento só meu, sem dividir com ninguém. Era como se no escondidinho de meus pensamentos eu fosse totalmente livre e pudesse viver o que eu desejava.

 

Sempre tive uma vida sexual absolutamente normal e satisfatória com meu marido, mas continuava me masturbando com minhas fantasias. Não me negava o direito de gozar só com elas e os orgasmos sempre foram mais intensos do que fazendo o sexo com meu marido.

Há uns três anos atrás descobri o SM por meio da internet. Embora eu seja uma mulher madura, confesso que me assustei ao descobrir que existem muito mais pessoas adeptas ao SM do que eu imaginava. Descobri que aqueles acessórios todos das minhas fantasias existiam de verdade e até os mais “hard” que povoavam minha mente fantasiosa, já tinham sido inventados.

Quanto mais eu pesquisava nos sites e blogs, mais eu me certificava de que tudo era visto como até bem "normal". Fiquei deslumbrada e eufórica, mas ao mesmo tempo comecei a ficar irritada, pois estava divida entre viver tudo que sempre quis e presa a um casamento visto socialmente como estável e duradouro. No meu íntimo eu me sentia sem liberdade para ir em frente. Passei a ler muito sobre SM na internet, aproveitando quando ficava sozinha em casa, pois minha família saía para trabalhar. Minha excitação e deslumbramento cresciam cada dia mais.

Até que conheci meu DONO e Ele significou para mim como um abrir de portas para viver um pouco de tudo que eu sempre desejei em minhas fantasias. Porém nem tudo são flores, não é fácil falar de todos os sentimentos que envolvem  essas vivências. Não é fácil encarar o ciúme, sentir-se preterida por conta de uma escrava mais nova, mais bonita, dividir a atenção do Mestre. Por isso tenho aprendido muito e vejo que não basta querer ser escrava, é preciso ter muita resignação, perseverança e vontade de aprender sempre. Para mim o primordial é a capacidade de compreender cada momento.

Qualquer ser humano tem uma vida pessoal com emprego, família, amigos e exigências da sociedade e não podemos nos alienar a ponto de abandonar tudo para nos entregar de cabeça a uma fantasia. O meu casamento existe e é um fato, ele limita meu tempo físico para me dedicar à minha submissão, mas não limita os meus sentimentos e desejos de escrava.

Meu casamento é muito importante, no que diz respeito à vida pessoal, filhos, até mesmo por dependência financeira e emocional familiar, mas viver minhas fantasias, sob o Domínio de meu DONO hoje vejo como essencial. E digo isto porque ninguém tem posse da minha intimidade de forma tão intensa como meu DONO. Só Ele me conhece plenamente, pois com Ele eu compartilho os mais íntimos desejos que nem eu mesma ousei externar. Nem com todos esses anos de casada, tive com meu marido tanta cumplicidade e sintonia.

Errado ou não, decente ou não, sinto que o fato de eu ser casada, não me impede de servir meu DONO. Penso que devemos saber separar as coisas e os momentos que estamos vivendo. O amor que sinto pelo meu marido e pelos meus filhos e o amor que sinto pelo meu Dono são muito diferentes sim, mas não menos intensos. O casamento não impede a vivência da uma fantasia, desde a relação seja construída com muita transparência e o que foi combinado seja aceito e cumprido por ambas as partes.

O que faz de mim uma boa ou uma péssima escrava não é meu estado civil, mas sim a qualidade do tempo que me dedico à minha submissão. Não posso ter marcas profundas no corpo? Que pena eu gostaria! Mas o que importa? Meu DONO já as deixou para sempre na minha alma.

por: karla { K@ }

 

Share

Alex 09.05.2014 (17:14:18)  
Oi Karla  

Tenho 42 anos e descubri que gosto do bdsm há pouco mais de um ano. Sempre tive esses desejos de dominar a mulher. Vivo também dentro de um matrimonio "normal",tenho que fazer uma vida secreta, sei pelo que se passa. Obrigado por todos seus comentarios são de grande ajuda.

 
   
       
Cristie 10.05.2013 (18:27:17)  
Meu marido, meu DOM  

Não sei se dará certo, mas compartilho do mesmo desejo e também sou casada. Como não tenho coragem de procurar nada fora do meu casamento pois também sinto que tenho muito a perder, estou trazendo para o meu próprio marido este mundo. Me surpreendi quando percebi o quanto ele se excita e sente prazer em ser meu Dom, ainda que não saiba muito bem como fazer isso. Estamos vivendo dias de muito erotismo, novas sensações e já sou outra mulher, muito mais feliz e, acredite, segura. Adorei seu post.

 
   
       
Lobba ALfa 27.04.2013 (22:54:17)  
BDSM  

Eu vivo um casamento como muitas aqui falaram. É um casamento de 21 anos, marido muito companheiro mas não me supre completamente, tenho meu lado sub tb, pois eu acabei de descobrir que sou switcher. Busco um DOM, mas e o medo de me apaixonar perdidamente?? Não sei se largria tudo para viver isso, mas em minhas fantasias e qdo me toco sozinha, meus pensamentos desejam, do fundo da minha alma, um DOM. Resta-me coragem, sei disso!

 
   
       
karla 25.04.2013 (19:24:10)  
 

Querida jaqueline


Toda submissa tem duvidas e incertezas e elas podem ser dissipadas com o tempo, dependendo de nossa entrega e dedicação. Começamos timidamente, inseguras, mas com o tempo - e apoiadas pelo Dono, vamos nos tornando mais fortes e mais determinadas.


Você conseguirá chegar onde quiser se estiver feliz ao lado de seu Dono e se tiverem uma relação de confiança. Sempre consegui conciliar minha vida baunilha com a do SM..vivo integralmente as duas.

Beijos e te desejo boa sorte tá?

 
   
       
jaqueline 21.04.2013 (17:52:38)  
sou casada e conheci meu dom  

Ola! Karla, conheci meu dom em redes sociais a uns 2 meses e a 15 dias atras tivemos nosso primeiro encontro, posso dizer q achei meu dono, estou muito feliz, porem com duvidas e incertezas de toda sub iniciante. Será que vou conseguir como voce?
beijos...querida

 
   
       
linda gorda 07.12.2012 (17:29:49)  
parabéns  

Prezada karla { K@}
parabéns por você ser uma escrava já há tanto tempo .
Parabéns por ter tido a coragem de realizar seus desejos. Essa coragem é para poucos.
Desejo que esses cinco anos se tornem 20, com muitos limites sendo superados.
Beijos

 
   
       
karla 06.12.2012 (22:14:11)  
 

forma incondicional e plena. Não saberia mais viver sem meu Dono; portanto procuro não pensar no que possa acontecer de ruim e me focar na minha submissão.

Te afirmo com toda a certeza que não existe realização maior do que poder extravasar e colocar para fora a minha alma submissa.

Vale a pena sim....sou muito feliz aqui no Reino e já vivi coisas que me deram um prazer que nunca havia sentido antes..

Beijos karinhosos


karla { K@ }

 
   
       
karla 06.12.2012 (22:11:05)  
 

Querida Mariana...

Posso te dizer que não é nada fácil...a dependência que tenho com meu marido não é financeira e sim uma dependência pela instituição "casamento", já que sou casada há 34 anos com o meu primeiro namorado e pertenço a uma familia conservadora. Tenho medo sim que minha vida "secreta" venha a tona pelo ônus que vai me causar, mesmo tendo filhas adultas e casadas.
Claro que se eu não fosse absolutamente realista eu largaria tudo e correria para os braços de meu Dono a quem amo de

 
   
       
Mariana 06.12.2012 (19:43:29)  
Comentario  

Olá karla!

Eu tenho lido um pouco sobre esse mundo de submissão e me interessei muito no assunto. Mais tenho o impedimento "casamento" e tenho uma curiosidade, vc citou no texto que além de casada é dependente de seu marido e tem filhos inclusive. Vc pensa no que faria se por algum meio o seu segundo mundo vem a tona? Esse seria meu maior medo perder meu porto seguro por prazer carnal? Vale a pena arriscar tanto, com seu dono vc teria a mesma segurança?

 
   
       
karla 23.11.2012 (17:42:59)  
 

Senhor

Obrigada por nos visitar. Gostaria de Lhe dizer que sou submissa de Mestre K@ há mais de 5 anos - meu primeiro e único Dono. Com Ele aprendi a ser mulher; com Ele vivo os melhores e mais intensos momentos de minha vida. Aqui no Reino de K@ encontrei a felicidade plena. Desejo que quando chegar o Seu momento de viver o que deseja, o Senhor encontre alguém que O complete e que possam viver todos os Seus desejos.

Beijos Respeitosos


karla { K@ }

 
   
       
 

  800 caracteres disponíveis

Antispam Actualizar imagem Não é sensível a maiúsculas

 
 

Copyright © 2003–2013. Mestre K@