Amores e temores numa relação D/s

Atendendo uma sugestão de meu Mestre, me proponho a escrever nesse artigo, algumas percepções minhas sobre relacionamentos D/s quando se misturam com amores e paixões. Como lidar com essa situação estando no lado de quem domina, ou é dominado? Dizem que submissa quando se apaixona a entrega é maior. Isto é verdade? Submissa consegue manter-se submissa quando está envolvida por sentimentos de paixão? E o Dono, quando se apaixona fica mais suscetível às vontades da submissa? Perde um pouco o caráter dominante quando está enamorado?

Um número significativo de pessoas do meio SM garante que relação D/s e paixão não se misturam, que quando acontece uma, acaba por interferir na outra.

Verdade ou não, o fato é que acontece e muito mais frequente do que se imagina. Qualquer relacionamento D/s é muito intenso, seja ele qual for e não dá para abrir e fechar a caixinha do sentimento para momentos baunilha e D/s. Somos um todo que sofre, chora, ri, sente prazer, se entrega, se apaixona independente do nosso querer.

Quando esse tipo de sentimento acontece e que envolve duas pessoas é mais tranquilo, pois é um Dominador que se encanta por sua submissa, ou vice versa. Agora, quando um Dominador mantém sob o seu domínio, várias submissas tudo fica mais complicado. Pode acontecer de mais de uma submissa apaixonar por ele que não se apaixona por nenhuma, ou por uma, ou até mesmo duas. Como administrar esse tipo de situação?

Primeiro ponto é que as pessoas têm que ter maturidade para viver uma relação D/s e ter claro que se vier a acontecer uma paixão, ela poderá ser correspondida, ou não. O compromisso primeiro é com a relação D/s, o que decorre dela não está em nenhum contrato de escravidão, portanto nenhuma das partes pode requerer que o outro corresponda um sentimento que vai além do SM.

Dominador que tem mais de uma submissa deve ser o mais transparente possível e encarar que cada submissa tem o seu papel e que todas devem ser tratadas com carinho e respeito. Ele precisa também ter maturidade e astúcia para administrar os problemas que possam surgir decorrente de paixões por suas submissas. Muitas vezes a submissa entra na relação com objetivo de conquistar o Dono e também o homem, o que até pode acontecer, mas não necessariamente. E quando isso não acontece começam os problemas, ciúme, medo, instabilidade emocional, desconfiança. É hora de ter uma conversar séria e ver o quanto é possível administrar, ou se é melhor parar.

O desejo da submissa de ter mais que o Dono pode estar atrelado à carência afetiva, a dependência emocional, a necessidade de cuidado, ou até mesmo pelo vínculo forte que se estabelece no D/s, pode acontecer uma confusão de sentimentos. Também pode acontecer de quando a relação caminha para mais que o SM, o encanto se perde os interesses mudam, vem o desgaste e até mesmo o fim do relacionamento.

Neste sentido acompanho a trajetória do Mestre que tem a fantasia de ter várias escravas. Muitas vieram e se foram no Reino, algumas marcaram mais, outras menos, muitas se apaixonaram e não foram correspondidas, algumas sim. No entanto, decididamente para Ele relação baunilha e SM não combinam. O Mestre vive o SM com intensidade e não caberia uma relação de namoro ou casamento enquanto estiver mantendo relacionamentos SM. Pode até ser que se algum dia deixar o SM, Ele venha a viver relação baunilha, com uma de suas ex-submissas, ou até mesmo com uma pessoa que não seja do meio, mas ao mesmo tempo, decididamente não.

O que fazer quando acontece uma paixão não correspondida numa relação D/s? Aqui vão algumas dicas:

• É preciso haver diálogo e sinceridade sempre, esconder sentimentos não leva a lugar algum;
• Quando o sentimento é verdadeiro é preciso saber fazer sacrifícios e renunciar, quem ama de verdade quer o bem do outro;
• Tratamento de carinho e respeito é necessário, mas ceder a chantagens emocionais e caprichos não;
• Ninguém é de ninguém e mais vale viver momentos felizes intensamente do que sofrer pela ilusão de uma incerteza;
• Fazer renúncias e sacrifícios não significa violentar-se, é preciso avaliar sempre e dosar o nível de felicidade e infelicidade que estamos produzindo em nós.
• A vivência de uma relação D/s é importante até o ponto que está nos dando prazer e também ao outro; e o envolvimento de sentimentos deve potencializar esse prazer, senão vira patologia;
• Se a experiência não foi boa, o melhor é partir para outra, a vida é feita para ser vivida, não vale a pena ficar se remoendo pelos insucessos.

É certo que quando envolve sentimento a entrega é maior, de ambas as partes, o que não se deve perder de vista é o objetivo que se quer alcançar. Uma submissa nem sempre será correspondida pela paixão que sente pelo Dono, da mesma forma que o Dono também pode não ter o coração de sua submissa com tanto gostaria. Mas se deixarem levar pelas paixões, o SM certamente ficará em segundo plano. Somos seres de razão e emoção e estas devem estar voltadas para promover a nossa felicidade, bem estar e prazer, não para a nossa tristeza e infelicidade se isso estiver acontecendo é preciso rever os propósitos e até onde estamos dispostos a chegar.

por: kalía { K@ }

 


  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes
   
 

Top Icons

Escravas do RK